Diga não ao imposto sindical VOLTAR

Artigos, Clipping e Notícias

CUT-AM recolhe votos para o Plebiscito sobre o Fim do Imposto Sindical

26/04/2012

Escrito por: CUT-AM

 

A Central Única dos Trabalhadores (CUT-AM) está desde terça, 24, coletando votos e assinaturas dos trabalhadores do Polo Industrial de Manaus – PIM, para o Plebiscito, que sugere o Fim do Imposto Sindical, como parte da Campanha Nacional por Liberdade e Autonomia Sindical. As urnas estão na sede do Sindicato dos Metalúrgicos e itinerantes nas fábricas do Distrito Industrial e centro da cidade de Manaus. A campanha vai até o dia 15 de maio, quando acontecerá um ato público para o encerramento da campanha.

 

O presidente da CUT-AM, Valdemir Santana, disse que o fim do Imposto Sindical vem sendo discutido pela Central Cutista desde a sua fundação, em 1983. Seguindo uma orientação nacional, a CUT Amazonas está nas fábricas e nas ruas para consultar os trabalhadores se eles estão de acordo ou não com o desconto anual obrigatório de um dia de salário para o seu sindicato.

 

Pelos cálculos de Santana, próximo de 25 mil trabalhadores do Distrito Industrial em Manaus devem votar pelo fim do imposto sindical. “Eles devem seguir a proposta da única central sindical no Brasil, que se posiciona contra esse imposto, que sustenta o peleguismo, que garante a sobrevivência de sindicatos cartoriais e as intermináveis brigas nas varas de justiça do trabalho pela direção de sindicatos”, destaca.

 

De acordo com a CUT nacional, o fim desse tributo serve para acabar com a sustentação de sindicados que não têm compromisso com os interesses dos trabalhadores e que o Plebiscito é uma forma dos trabalhadores dizer não, às quadrilhas sindicais. “A CUT Brasil sabe que outras centrais vão defender o Imposto Sindical, mas tem certeza que os trabalhadores vão dizer não a esse imposto”, afirmou Valdemir Santana, presidente da CUT Amazonas.