Diga não ao imposto sindical VOLTAR

Artigos, Clipping e Notícias

CUT lança Plebiscito Nacional sobre o Fim do Imposto Sindical no Pará

17/04/2012

Escrito por: CUT Nacional

 

A CUT Pará lançou o Plebiscito Nacional sobre o Fim do Imposto Sindical, primeira ação da Campanha por Liberdade e Autonomia Sindical da central. Participaram do ato dirigentes de várias categorias profissionais, entre eles a diretoria do Sindicato dos Empregados em Tecnologias da Informação do Pará (SINDPD-PA).

O Plebiscito “Diga Não ao Imposto Sindical” foi prorrogado até o dia 15 de junho, em função da demanda - o prazo final de votação seria 30 de abril. Isto porque, trabalhadores de todo o País, inclusive de sindicatos filiados a centrais que são contra o fim do imposto, estão telefonando ou enviando e-mails para a coordenação do plebiscito dizendo que também querem votar. No próximo dia 30, a direção executiva da CUT vai divulgar a primeira parcial sobre a votação.

Rosane Silva, secretária da Mulher Trabalhadora, e Rogério Pantoja, diretor executivo da CUT-PA, falaram para os dirigentes presentes sobre os objetivos da campanha. “O fim do imposto sindical é fundamental para fortalecer os sindicatos, torná-los mais atuantes, combativos”, como afirmou a secretária.

A diretoria do SINDPD-PA reafirmou que apoia a campanha e colocou o sindicato a disposição da CUT para contribuir com a realização do plebiscito.

O desconto do imposto equivale a um dia de salário por ano de todos/as trabalhadores/as que têm carteira assinada. E todos pagam, sejam ou não associados a um sindicato, queiram ou não. O fim deste imposto, segundo o presidente da CUT, Artur Henrique, “é fundamental para a classe trabalhadora brasileira conquistar a liberdade e a autonomia sindicais, bandeiras históricas que fazem parte dos princípios de criação da nossa Central”.

Segundo Artur, a CUT já fez várias lutas contra a cobraça, mas este ano decidiu fazer uma ampla e ousada campanha. “A diferença, este ano, é que decidimos consultar diretamente os maiores interessados para saber o que acham do imposto indo às ruas, falando com os/as trabalhadores/as em locais de grande concentração”.  

A Campanha Nacional por Liberdade e Autonomia Sindical da CUT vai até agosto do ano que vem, quando a central completa 30 anos.  E no início de julho, durante 11º CONCUT – Congresso Nacional da CUT que vai escolher a nova diretoria, lançaremos a segunda fase da campanha cujo objetivo é recolher milhares de adesões a um abaixo assinado em apoio a ratificação da Convenção 87 da OIT.