Diga não ao imposto sindical VOLTAR

Artigos, Clipping e Notícias

Hoje tem tuitaço pelo fim do imposto sindical

23/04/2012

Escrito por: CUT Nacional

 

Nesta terça-feira, 24 de abril, das 15 às 17 horas, a CUT realiza mais uma mobilização nas redes sociais em defesa do Fim do Imposto Sindical, por meio do Twitter e do Facebook.

 

A ação divulga o Plebiscito Nacional sobre o Fim do Imposto Sindical que a CUT realiza em todo o Brasil até o dia 15 junho, e faz parte da Campanha Nacional por Liberdade e Autonomia Sindical, bandeira histórica da CUT.

 

Para fortalecer ainda mais a campanha, contamos com a participação maciça de tod@s @s CUTistas e parceir@s nessa luta, compartilhando e retuitando informações, postando fotos tiradas durante a votação e divulgando amplamente o plebiscito. Vamos tod@s junt@s dizer NÃO ao imposto sindical!

 

Para as postagens nas redes sociais vamos utilizar a seguinte hashtag #FimdoImpostoSindical

 

Seguem abaixo alguns links que podem ser utilizados:

 

Chega de sindicato de gaveta: http://diganaoaoimposto.cut.org.br/noticias/chega-de-sindicato-de-gaveta/

 

CUT prorroga votação do Plebiscito sobre o Fim do Imposto Sindical: http://diganaoaoimposto.cut.org.br/noticias/cut-prorroga-votacao-do-plebiscito-sobre-o-fim-do-imposto-sindical/

 

Pelo fim do imposto sindical: o principal objetivo é fortalecer os sindicatos representativos:http://diganaoaoimposto.cut.org.br/noticias/pelo-fim-do-imposto-sindical-nosso-principal-objetivo-e-fortalecer-os-sindicatos-representativos-diz-presidente-da-cut/

 

Trabalhador/a deve decidir quanto pagar para seu sindicato #FimdoImpostoSindical:http://www.cut.org.br/destaques/21873/para-presidente-da-cut-trabalhador-deve-decidir-quanto-pagar-para-manter-sindicato

 

Professor da Iesp-Uerj comenta: oposição da CUT à cobrança do tributo sindical é histórica:http://diganaoaoimposto.cut.org.br/noticias/professor-da-iesp-uerj-comenta-oposicao-da-cut-a-cobranca-do-tributo-sindical-e-historica/

 

Por que a CUT é contra o imposto sindical? http://diganaoaoimposto.cut.org.br/noticias/plebiscito-nacional-sobre-o-fim-do-imposto-sindical/

 

CUT luta contra o #FimdoImpostoSindical. As outras centrais sindicais e os patrões são contra! http://www2.camara.gov.br/agencia/noticias/TRABALHO-E-PREVIDENCIA/206140-CUT-E-MINISTERIO-PUBLICO-DO-TRABALHO-DEFENDEM-FIM-DO-IMPOSTO-SINDICAL.html

 

Unicidade não é unidade #FimdoImpostoSindical:http://www.cut.org.br/ponto-de-vista/artigos/4645/unicidade-nao-e-unidade

 

Em áudio, @cutnacional convoca para o Plebiscito Nacional sobre o #FimdoImpostoSindical:http://www.cut.org.br/galeria-de-audio/76/plebiscito-nacional-sobre-o-fim-do-imposto-sindical-spot-de-radio

 

Baixe os cartazes e panfletos do Plebiscito Nacional sobre o #FimdoImpostoSindical:http://www.cut.org.br/campanhas/45/plebiscito-nacional-sobre-o-fim-do-imposto-sindical

 

Visite o site da campanha: http://diganaoaoimposto.cut.org.br/

 

Galeria de fotos do plebiscito sobre o fim do imposto sindical:http://diganaoaoimposto.cut.org.br/galerias/

 

O Plebiscito Nacional sobre o #FimdoImpostoSindical vai até 15 de junho. Procure a CUT do seu estado e saiba onde votar.

 

Pelo #FimdoImpostoSindical, chega de sindicatos de fachada

 

#FimdoImpostoSindical: o/a trabalhador/a deve ser livre para escolher seu sindicato

 

 #FimdoImpostoSindical: Das cinco centrais sindicais brasileiras, a CUT é a única contra o imposto sindical

 

#FimdoImpostoSindical: o/a trabalhador/a deve ter autonomia para decidir qual será a forma de sustentação financeira do sindicato que escolheu

 

#FimdoImpostoSindical: o/a trabalhador/a quem deve decidir, no voto, quanto vai pagar para garantir a sustentação financeira do seu sindicato.

 

#FimdoImpostoSindical o/a trabalhador/a quem deve decidir para qual sindicato vai pagar e quanto vai pagar

 

#FimdoImpostoSindical: Chega de sindicatos de cartório, que não representam em nada os trabalhadores/as

 

#FimdoImpostoSindical fortalece os sindicatos

 

Sindicato presente nos locais de trabalho e que participa do cotidiano de seus representados, não teme o #FimdoImpostoSindical

 

Por que a CUT decidiu fazer um Plebiscito Nacional sobre o Fim do Imposto Sindical?

 

Todo ano, no mês de março, trabalhadores e trabalhadoras têm um dia de salário descontado de seu pagamento. É o imposto sindical, também chamado de contribuição sindical, cuja obrigatoriedade está prevista no artigo 579 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A lei diz que todos os trabalhadores assalariados que integram uma determinada categoria econômica ou profissional, são obrigados a pagar o imposto, independentemente de serem filiados, ou não, a um sindicato. Datada da década de 40, essa lei ultrapassada ainda está em vigor, mesmo com as profundas mudanças políticas, econômicas e sociais que vêm ocorrendo há décadas no Brasil e em todo o mundo.

 

Parte do dinheiro desse imposto vai para sindicatos de fachada, que não defendem em nada os interesses da classe trabalhadora, que nada fazem para manter seus direitos e muito menos para ampliar conquistas que melhorem suas condições de trabalho, sua renda, seu lazer? Isso só acontece porque a estrutura sindical brasileira permite. O fim do imposto sindical é determinante para democratizar a organização sindical e as relações de trabalho.

 

Para a CUT, todo/a trabalhador/a deve ser livre para escolher seu sindicato, ou seja, quem deve representá-lo/a juridicamente na hora de negociar com os patrões e dialogar com o governo, para garantir e ampliar conquistas e direitos. Também deve ter autonomia para decidir qual será a forma de sustentação financeira do sindicato que escolheu! É o trabalhador e a trabalhadora quem devem decidir, no voto, se e quanto querem pagar para garantir a sustentação financeira do seu sindicato.

 

A CUT defende o fim do imposto sindical e sua substituição pela contribuição da negociação coletiva, decidida livremente em assembleia da categoria. Porque é necessário garantir que o sindicato tenha todas as condições para defender os seus direitos.

 

Para a CUT, Liberdade e Autonomia Sindical estão atreladas a um projeto de desenvolvimento com crescimento econômico, distribuição de renda, valorização do trabalho, preservação do meio ambiente, reforma agrária e políticas públicas que promovam a melhoria das condições de vida, com igualdade de oportunidades e de tratamento entre homens e mulheres - independentemente de sua cor, raça, geração, crença ou condição social.

 

Para informações sobre locais de votação, procure a CUT no seu estado:http://www.cut.org.br/estrutura/55/cut-nos-estados

 

Para mais informações sobre a Campanha: http://diganaoaoimposto.cut.org.br/